Costa Vicentina | iupy travel- Agência de viagens

De Odeceixe a Burgau, praias sem fim, falésias imponentes e a natureza de uma forma selvagem e resiliente como nunca a viu. É assim a Costa Vicentina.

2020 foi um ano diferente mas um ano em que se falou imenso no conceito de “ir para fora cá dentro”. E porque não começar por um roteiro tão famoso como o da Costa Vicentina? De carro, numa carrinha alugada, de bicicleta, a dois, a quatro ou a solo, as paisagens do sudoeste alentejano não desiludem.

Os areais idílicos são coroados com alguma vegetação, serras, praias, falésias e típicos casebres fazem o enlace perfeito, entre mar, terra e serra. Planícies e trilhos para  caminhar, praias e enseadas para quem procura banhos de sol e as casinhas e casebres para amantes do turismo rural.

Percorra um caminho único!

Com uma extensão de mais de 100 quilómetros, o Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina percorre os municípios de Aljezur, Vila do Bispo, Odemira e Sines, indo do litoral alentejano até à costa algarvia num ápice. Um destino procurado maioritariamente para dias de céu azul, a Costa Vicentina tem mais de 3000 horas de sol por ano; para quem até gosta de dias menos ensolarados, é possível praticar surf durante quase todo o ano.  Na chamada meia-estação, nada melhor que se dedicar aos vários trilhos da zona, e passeios na serra.

Se gosta de areia nos pés e sol na venta, o leque de praias disponível é bastante extenso (e bonito)! Como nos cantou Rui Veloso, na Praia da Ilha do Pessegueiro, rica em flora e fauna muito belas e com dois fortes – o de Nossa Senhora da Queimada e o de Santo Alberto – pode ouvir-se “um rouxinol na redondeza, no calmo improviso do poente”. Não deve deixar de visitar também a Praia de Almograve, a Praia de São Torpes, a Praia da Samouqueira e a bem conhecida Zambujeira do Mar. Já na zona algarvia, a Praia de Odeceixe, a Praia da Arrifana, a Praia do Castelejo e as bonitas praias de Sagres – todas com um fantástico pôr-do-sol, falésias a perder de vista e uma brisa que nunca cessa.

Se gosta dos pés bem assentes na terra e na serra, pode escolher entre os 750 quilómetros de trilhos pedestres, como o Trilho dos pescadores e o Caminho Histórico ou ainda os 1000 quilómetros de percursos de BTT.

Seja como for, visite a Costa Vicentina. Ouro sobre azul, mar, terra e serra. Aceita o convite?

Deixe o seu comentário